Dr Diogo Mendes Nefrectomia radical em Brasília

Dr Diogo Mendes Nefrectomia radical em Brasília

Dr Diogo Mendes Nefrectomia radical em Brasília

Médico
CRM – DF : 6439
MD PhD TiSBU

Urologista

Médico

Currículo :
– Formado na Universidade Federal de Uberlândia em 1988
– Residência Médica em Cirurgia e Urologia no Hospital Base de Brasília, entre 1990 e 1994
– Mestrado em Ciências da Saúde pela UNB em 1999
– Mestrado Profissionalizante pela Universidade Autônoma de Barcelona em 2000
– Doutorado em Cirurgia pela Universidade de Barcelona em 2001
– Professor de Medicina na Escola Pública do Distrito Federal – ESCS desde 2003, por meio de concurso
– Médico do Hospital de Base do Distrito Federal, por meio de Concurso Público, desde 1994
– Trabalhou no Hospital Universitário de Brasília entre 1995 e 1998
– Membro da Sociedade Brasileira de Urologia
– Fundador e Coordenador das Empresas UroInstituto e Uromedical, que atuam no sistema suplementar do Distrito Federal, realizando 20 mil consultas e 1000 cirurgias em média nos últimos 3 anos.
– Foi presidente da Sociedade Brasileira de Urologia do Distrito Federal de 2010 até 2013.
– Responsável técnico pela Urologia na Rede D´Or – Hospital Santa Luzia e Hospital do Coração.
– Certificate of da Vinci System Training – as a da Vinci Console Surgeon

Médico

Endereço 1 : SHLS – Q 716 – Conjunto E – Consultório 9 e 10 – Hospital Santa Luzia
Localidade : Asa Sul – Brasília – DF
Telefones : (61) 3345-5959 / (61) 3345-2020
Site: http://www.cirurgiaroboticaembrasilia.com.br

Médica

Endereço 2 : SHLS – Q 716 – Conjunto N – Bloco A – n 47 – 2 andar – Edifício Medical Center

Localidade : Asa Sul – Brasília – DF
Telefones : (61) 3345-0805 / (61) 3345-1808
Site: www.uromedical.com.br

3

Nefrectomia Radical

Nefrectomia é o termo médico empregado para a retirada de um dos rins.

A nefrectomia radical é indicada para casos de tumor maligno e perda de função renal em casos de risco para a saúde do paciente.

É necessário um acompanhamento da função renal com exames de urina, de sangue e ultrassonografia, com uma periodicidade variável conforme a idade e as patologias associadas. Os pacientes também devem passar a adotar hábitos saudáveis.

Atualmente, a maioria absoluta dos casos de retirada de rim pode ser realizada por videolaparoscopia, que consiste na realização, na parede abdominal, de 3 a 4 orifícios, medindo 0,5 a 1,0 cm, através dos quais realiza-se todo o procedimento cirúrgico. Instrumentos especializados, incluindo câmeras microscópicas, são então utilizados para permitir uma visão ampliada da área focalizada, o que facilitará a precisão cirúrgica.

A nefrectomia radical tem como objetivo remover todo o rim que contém o tumor e o tecido adiposo circundante.

No cancro localmente avançado pode não ser possível remover o tumor e deixar intacta parte do rim.

Nos casos em que o rim não precisa ser removido por inteiro, ele pode ser retirado em fragmentos por um destes portais. Quando é necessária a retirada intacta do órgão (nos casos de tumor maligno e doação para transplante renal), utiliza-se de uma pequena incisão na região mais inferior do abdome, sem a necessidade de secção de músculos.

Na nefrectomia radical, o paciente receberá anestesia geral. Durante a cirurgia ficará posicionado de lado ou de costas, consoante a localização e o tamanho do tumor.

 

 

Leave a Comment

*Required fields Please validate the required fields

*

*

Menu