Dr Rodrigo Sarlo Hipertensão Zona Sul RJ

Dr Rodrigo Sarlo Hipertensão Zona Sul RJ

Dr Rodrigo Sarlo Hipertensão Zona Sul RJ

CRM : 52.83964-7

Nefrologista
.

FORMAÇÃO ACADÊMICA :
– Graduação em Medicina pela Fundação Técnico Educacional Souza Marques (2007)
– Residência Médica em Nefrologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2011-2013)
– Coordenação de Transplantes pela Universidade de Barcelona: Transplant Procurement Management (2012) e Tissue Banking and Advanced Therapies (2015).
– MBA de Gestão em Saúde pela COPPEAD/UFRJ (2014)
– Doutorado em curso pela COPPEAD/UFRJ (desde 2015).

.

ATUAÇÃO PROFISSIONAL :

– Médico Nefrologista do Hospital CopaStar (desde 2017) : http://www.copastar.com.br
– Médico Nefrologista do Hospital Barra D’or (desde 2015) : http://www.barrador.com.br
– Consultor médico da Fresenius Medical Care (desde 2016) : http://www.fmc-ag.com.br
– Coordenador do Serviço de Pesquisa do Programa Estadual de Transplantes (desde JUL/17) : http://www.transplante.rj.gov.br

*atuou como Coordenador Geral do Programa Estadual de Transplantes (SET/2012 a JUL/2017) e Nefrologista do Hospital Copa D’or (2013-2014), além de outros Serviços de Diálise Móvel e Clínicas de Diálise (entre 2011 e 2013).

.

SOCIEDADES MÉDICO-CIENTÍFICAS :
– Membro da Sociedade Brasileira de Nefrologia (SBN)
– Membro da Associação Brasileira de Transplante de Órgãos (ABTO)
– Membro da International Society of Organ Donation and Procurement (ISODP)
– Membro da Transplantation Society (TTS)

.

PREMIAÇÕES :

– Troféu Alexandre Adler (2014) pelo SINDHRIO: concedido à instituição ou profissional de saúde que tenha se destacado na contribuição para o avanço da medicina, pesquisa, atendimento médico-hospitalar e qualidade de vida da população brasileira

– Prêmio Científico do 13° Congresso da ISODP (2015): Reconhecimento pela Excelência do trabalho científico:
Impact of Introducing Full-Time In-house Coordinators on Referral and Organ Donation Rates in Rio de Janeiro State Hospitals: A Healthcare Innovation Practice

– Linkedin : https://br.linkedin.com/in/rodrigo-sarlo-322a6610b
– Currículo Lattes : http://lattes.cnpq.br/214462124547206

Médico

Endereço : Rua Jardim Botânico, 674 – Sala 405
Bairro : Jardim Botânico – Rio de Janeiro – RJ
Telefone : (21) 2249-9131
* marcação de consultas após as 13hs
Também atende na Barra da Tijuca

O PAPEL DO NEFROLOGISTA E QUANDO PROCURAR UM :

Os rins são os órgãos do corpo humano responsáveis pela filtração do sangue, através da remoção de substâncias indesejáveis e pelo controle do balanço de líquidos e eletrólitos em nosso organismo, como sódio e potássio por exemplo. Além disso, também produzem hormônios, como a eritropoetina, e promovem a conversão de vitamina D em sua forma ativa.

Diversas doenças podem acometer os rins, fazendo com que a função renal deteriore ao longo do tempo, levando a uma piora da qualidade de vida e até mesmo, aumentando a mortalidade. Alguns sinais de perda acentuada de função renal são edema (‘inchaço no corpo’), urina espumosa, cansaço excessivo e/ou  aumento progressivo da pressão arterial.

DOENÇA RENAL CRÔNICA (DRC) 

A Doença Renal Crônica (DRC) é definida como qualquer alteração estrutural ou funcional do rim que persista por mais de três meses. Para melhor manejo clínico foi proposta uma classificação em cinco estágios, de acordo com o grau de funcionamento do rim. As principais causas de DRC são Diabetes Mellitus e Hipertensão Arterial, mas algumas doenças genéticas ou auto-imunes também podem levar à DRC, de forma mais acelerada inclusive.

– No estágio inicial, ou estágio 1, as alterações não cursam com a piora de função renal enquanto que, nos estágios avançados, como o estágio 5, existe comprometimento severo e deve-se buscar métodos de substituição do órgão, como a diálise, por exemplo.

– A creatinina no sangue é o marcador mais utilizado para o estadiamento e acompanhamento. O valor de referência da creatinina geralmente é entre 0.6 e 1.2 mg/dL.

– A perda de sangue (hematúria) ou de proteína (proteinúria) pela urina são sinais de alerta e na maioria das vezes indicam avaliação mais detalhada.

ATUAÇÕES DO NEFROLOGISTA

1. Prevenir alguns distúrbios, como as infecções urinárias de repetição e a formação de cálculos urinários, uma vez que essas alterações decorrem muitas vezes de problemas do metabolismo e necessitam de investigação e cuidados específicos.

2. O tratamento da hipertensão arterial, já que um dos principais mecanismos fisiopatológicos está relacionado com o eixo renina-angiotensina-aldosterona, regulado pelo rim.

3. Manejo da DRC, sobretudo quando a perda de função renal é acentuada. O acompanhamento específico com nefrologista a partir do estágio IIIB, ou seja, quando a função renal é menor do que 45mL/min/1,73m2 (ou “inferior a 45%”) é decisivo na redução da velocidade progressão.

4. Indicação e manejo da Terapia Renal Substitutiva (TRS), que deverá ser realizada quando a perda de função renal é tão acentuada que torna-se incompatível com a vida. A hemodiálise, a diálise peritoneal e o transplante renal são os métodos disponíveis atualmente para este fim.

Além disso, vale ressaltar que algumas doenças podem provocar a piora da função renal de forma rápida e acelerada, levando a uma condição denominada INJÚRIA RENAL AGUDA (IRA), que também e de responsabilidade do nefrologista.

A IRA geralmente é identificada em ambiente hospitalar e pode cursar com necessidade de TRS, geralmente hemodiálise, de forma temporária na maioria dos casos dado o habitual padrão de reversibilidade.

Por fim, é importante dizer que o texto acima tem um caráter ‘generalista’ e superficial. Por isso, realizar periodicamente consultas de rotina e cuidar de sua saúde é fundamental para ter uma vida longeva e feliz. Afinal, prevenir é melhor do que remediar!!!

Dr Rodrigo Sarlo Infecção urinária Zona Sul RJ

Dr Rodrigo Sarlo Infecção urinária Zona Sul RJ

Dr Rodrigo Sarlo Infecção urinária Zona Sul RJ

CRM : 52.83964-7

Nefrologista
.

FORMAÇÃO ACADÊMICA :
– Graduação em Medicina pela Fundação Técnico Educacional Souza Marques (2007)
– Residência Médica em Nefrologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2011-2013)
– Coordenação de Transplantes pela Universidade de Barcelona: Transplant Procurement Management (2012) e Tissue Banking and Advanced Therapies (2015).
– MBA de Gestão em Saúde pela COPPEAD/UFRJ (2014)
– Doutorado em curso pela COPPEAD/UFRJ (desde 2015).

ATUAÇÃO PROFISSIONAL :

– Médico Nefrologista do Hospital CopaStar (desde 2017) : http://www.copastar.com.br

– Médico Nefrologista do Hospital Barra D’or (desde 2015) : http://www.barrador.com.br

– Consultor médico da Fresenius Medical Care (desde 2016) : http://www.fmc-ag.com.br

– Coordenador do Serviço de Pesquisa do Programa Estadual de Transplantes (desde JUL/17) : http://www.transplante.rj.gov.br

.

*atuou como Coordenador Geral do Programa Estadual de Transplantes (SET/2012 a JUL/2017) e Nefrologista do Hospital Copa D’or (2013-2014), além de outros Serviços de Diálise Móvel e Clínicas de Diálise (entre 2011 e 2013).

.

SOCIEDADES MÉDICO-CIENTÍFICAS :
– Membro da Sociedade Brasileira de Nefrologia (SBN)
– Membro da Associação Brasileira de Transplante de Órgãos (ABTO)
– Membro da International Society of Organ Donation and Procurement (ISODP)
– Membro da Transplantation Society (TTS)

PREMIAÇÕES :
– Troféu Alexandre Adler (2014) pelo SINDHRIO: concedido à instituição ou profissional de saúde que tenha se destacado na contribuição para o avanço da medicina, pesquisa, atendimento médico-hospitalar e qualidade de vida da população brasileira

– Prêmio Científico do 13° Congresso da ISODP (2015): Reconhecimento pela Excelência do trabalho científico:
Impact of Introducing Full-Time In-house Coordinators on Referral and Organ Donation Rates in Rio de Janeiro State Hospitals: A Healthcare Innovation Practice

– Linkedin : https://br.linkedin.com/in/rodrigo-sarlo-322a6610b
– Currículo Lattes : http://lattes.cnpq.br/214462124547206

Médico

Médico
Endereço : Rua Jardim Botânico, 674 – Sala 405
Bairro : Jardim Botânico – Rio de Janeiro – RJ
Telefone : (21) 2249-9131
* marcação de consultas após as 13hs
Também atende na Barra da Tijuca

O PAPEL DO NEFROLOGISTA E QUANDO PROCURAR UM :

Os rins são os órgãos do corpo humano responsáveis pela filtração do sangue, através da remoção de substâncias indesejáveis e pelo controle do balanço de líquidos e eletrólitos em nosso organismo, como sódio e potássio por exemplo. Além disso, também produzem hormônios, como a eritropoetina, e promovem a conversão de vitamina D em sua forma ativa.

Diversas doenças podem acometer os rins, fazendo com que a função renal deteriore ao longo do tempo, levando a uma piora da qualidade de vida e até mesmo, aumentando a mortalidade. Alguns sinais de perda acentuada de função renal são edema (‘inchaço no corpo’), urina espumosa, cansaço excessivo e/ou  aumento progressivo da pressão arterial.

DOENÇA RENAL CRÔNICA (DRC) 

A Doença Renal Crônica (DRC) é definida como qualquer alteração estrutural ou funcional do rim que persista por mais de três meses. Para melhor manejo clínico foi proposta uma classificação em cinco estágios, de acordo com o grau de funcionamento do rim. As principais causas de DRC são Diabetes Mellitus e Hipertensão Arterial, mas algumas doenças genéticas ou auto-imunes também podem levar à DRC, de forma mais acelerada inclusive.

– No estágio inicial, ou estágio 1, as alterações não cursam com a piora de função renal enquanto que, nos estágios avançados, como o estágio 5, existe comprometimento severo e deve-se buscar métodos de substituição do órgão, como a diálise, por exemplo.

– A creatinina no sangue é o marcador mais utilizado para o estadiamento e acompanhamento. O valor de referência da creatinina geralmente é entre 0.6 e 1.2 mg/dL.

– A perda de sangue (hematúria) ou de proteína (proteinúria) pela urina são sinais de alerta e na maioria das vezes indicam avaliação mais detalhada.

ATUAÇÕES DO NEFROLOGISTA

1. Prevenir alguns distúrbios, como as infecções urinárias de repetição e a formação de cálculos urinários, uma vez que essas alterações decorrem muitas vezes de problemas do metabolismo e necessitam de investigação e cuidados específicos.

2. O tratamento da hipertensão arterial, já que um dos principais mecanismos fisiopatológicos está relacionado com o eixo renina-angiotensina-aldosterona, regulado pelo rim.

3. Manejo da DRC, sobretudo quando a perda de função renal é acentuada. O acompanhamento específico com nefrologista a partir do estágio IIIB, ou seja, quando a função renal é menor do que 45mL/min/1,73m2 (ou “inferior a 45%”) é decisivo na redução da velocidade progressão.

4. Indicação e manejo da Terapia Renal Substitutiva (TRS), que deverá ser realizada quando a perda de função renal é tão acentuada que torna-se incompatível com a vida. A hemodiálise, a diálise peritoneal e o transplante renal são os métodos disponíveis atualmente para este fim.

Além disso, vale ressaltar que algumas doenças podem provocar a piora da função renal de forma rápida e acelerada, levando a uma condição denominada INJÚRIA RENAL AGUDA (IRA), que também e de responsabilidade do nefrologista.

A IRA geralmente é identificada em ambiente hospitalar e pode cursar com necessidade de TRS, geralmente hemodiálise, de forma temporária na maioria dos casos dado o habitual padrão de reversibilidade.

Por fim, é importante dizer que o texto acima tem um caráter ‘generalista’ e superficial. Por isso, realizar periodicamente consultas de rotina e cuidar de sua saúde é fundamental para ter uma vida longeva e feliz. Afinal, prevenir é melhor do que remediar!!!

Dr Rodrigo Sarlo Nefrologista Zona Sul RJ

Dr Rodrigo Sarlo Nefrologista Zona Sul RJ

Dr Rodrigo Sarlo Nefrologista Zona Sul RJ

CRM : 52.83964-7

Nefrologista
.

FORMAÇÃO ACADÊMICA :
– Graduação em Medicina pela Fundação Técnico Educacional Souza Marques (2007)
– Residência Médica em Nefrologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2011-2013)
– Coordenação de Transplantes pela Universidade de Barcelona: Transplant Procurement Management (2012) e Tissue Banking and Advanced Therapies (2015).
– MBA de Gestão em Saúde pela COPPEAD/UFRJ (2014)
– Doutorado em curso pela COPPEAD/UFRJ (desde 2015).

.

ATUAÇÃO PROFISSIONAL :

– Médico Nefrologista do Hospital CopaStar (desde 2017) : http://www.copastar.com.br
– Médico Nefrologista do Hospital Barra D’or (desde 2015) : http://www.barrador.com.br
– Consultor médico da Fresenius Medical Care (desde 2016) : http://www.fmc-ag.com.br
– Coordenador do Serviço de Pesquisa do Programa Estadual de Transplantes (desde JUL/17) : http://www.transplante.rj.gov.br

*atuou como Coordenador Geral do Programa Estadual de Transplantes (SET/2012 a JUL/2017) e Nefrologista do Hospital Copa D’or (2013-2014), além de outros Serviços de Diálise Móvel e Clínicas de Diálise (entre 2011 e 2013).

.

SOCIEDADES MÉDICO-CIENTÍFICAS :
– Membro da Sociedade Brasileira de Nefrologia (SBN)
– Membro da Associação Brasileira de Transplante de Órgãos (ABTO)
– Membro da International Society of Organ Donation and Procurement (ISODP)
– Membro da Transplantation Society (TTS)

.

PREMIAÇÕES :

– Troféu Alexandre Adler (2014) pelo SINDHRIO: concedido à instituição ou profissional de saúde que tenha se destacado na contribuição para o avanço da medicina, pesquisa, atendimento médico-hospitalar e qualidade de vida da população brasileira

– Prêmio Científico do 13° Congresso da ISODP (2015): Reconhecimento pela Excelência do trabalho científico:
Impact of Introducing Full-Time In-house Coordinators on Referral and Organ Donation Rates in Rio de Janeiro State Hospitals: A Healthcare Innovation Practice

– Linkedin : https://br.linkedin.com/in/rodrigo-sarlo-322a6610b
– Currículo Lattes : http://lattes.cnpq.br/214462124547206

Médico

Endereço : Rua Jardim Botânico, 674 – Sala 405
Bairro : Jardim Botânico – Rio de Janeiro – RJ
Telefone : (21) 2249-9131
* marcação de consultas após as 13hs
Também atende na Barra da Tijuca

O PAPEL DO NEFROLOGISTA E QUANDO PROCURAR UM :

Os rins são os órgãos do corpo humano responsáveis pela filtração do sangue, através da remoção de substâncias indesejáveis e pelo controle do balanço de líquidos e eletrólitos em nosso organismo, como sódio e potássio por exemplo. Além disso, também produzem hormônios, como a eritropoetina, e promovem a conversão de vitamina D em sua forma ativa.

Diversas doenças podem acometer os rins, fazendo com que a função renal deteriore ao longo do tempo, levando a uma piora da qualidade de vida e até mesmo, aumentando a mortalidade. Alguns sinais de perda acentuada de função renal são edema (‘inchaço no corpo’), urina espumosa, cansaço excessivo e/ou  aumento progressivo da pressão arterial.

DOENÇA RENAL CRÔNICA (DRC) 

A Doença Renal Crônica (DRC) é definida como qualquer alteração estrutural ou funcional do rim que persista por mais de três meses. Para melhor manejo clínico foi proposta uma classificação em cinco estágios, de acordo com o grau de funcionamento do rim. As principais causas de DRC são Diabetes Mellitus e Hipertensão Arterial, mas algumas doenças genéticas ou auto-imunes também podem levar à DRC, de forma mais acelerada inclusive.

– No estágio inicial, ou estágio 1, as alterações não cursam com a piora de função renal enquanto que, nos estágios avançados, como o estágio 5, existe comprometimento severo e deve-se buscar métodos de substituição do órgão, como a diálise, por exemplo.

– A creatinina no sangue é o marcador mais utilizado para o estadiamento e acompanhamento. O valor de referência da creatinina geralmente é entre 0.6 e 1.2 mg/dL.

– A perda de sangue (hematúria) ou de proteína (proteinúria) pela urina são sinais de alerta e na maioria das vezes indicam avaliação mais detalhada.

ATUAÇÕES DO NEFROLOGISTA

1. Prevenir alguns distúrbios, como as infecções urinárias de repetição e a formação de cálculos urinários, uma vez que essas alterações decorrem muitas vezes de problemas do metabolismo e necessitam de investigação e cuidados específicos.

2. O tratamento da hipertensão arterial, já que um dos principais mecanismos fisiopatológicos está relacionado com o eixo renina-angiotensina-aldosterona, regulado pelo rim.

3. Manejo da DRC, sobretudo quando a perda de função renal é acentuada. O acompanhamento específico com nefrologista a partir do estágio IIIB, ou seja, quando a função renal é menor do que 45mL/min/1,73m2 (ou “inferior a 45%”) é decisivo na redução da velocidade progressão.

4. Indicação e manejo da Terapia Renal Substitutiva (TRS), que deverá ser realizada quando a perda de função renal é tão acentuada que torna-se incompatível com a vida. A hemodiálise, a diálise peritoneal e o transplante renal são os métodos disponíveis atualmente para este fim.

Além disso, vale ressaltar que algumas doenças podem provocar a piora da função renal de forma rápida e acelerada, levando a uma condição denominada INJÚRIA RENAL AGUDA (IRA), que também e de responsabilidade do nefrologista.

A IRA geralmente é identificada em ambiente hospitalar e pode cursar com necessidade de TRS, geralmente hemodiálise, de forma temporária na maioria dos casos dado o habitual padrão de reversibilidade.

Por fim, é importante dizer que o texto acima tem um caráter ‘generalista’ e superficial. Por isso, realizar periodicamente consultas de rotina e cuidar de sua saúde é fundamental para ter uma vida longeva e feliz. Afinal, prevenir é melhor do que remediar!!!

Dra Teresa Seiler Alergologista Pediátrica no Jardim Botânico

Dra Teresa Seiler Alergologista Pediátrica no Jardim Botânico

Dra Teresa Seiler Alergologista Pediátrica no Jardim Botânico

CRM : 52.28997-8

Médica

Alergologia Adulta e Pediátrica

Médica

Currículo :
– Formada em Medicina pela UFF
– Curso de Pós Graduação na PUC- RJ
– Título de especialista em Alergia e Imunologia
– Coordenadora da Pós Graduação em Alergia e Imunologia pela Escola Médica de Pós Graduação da PUC-RJ desde 1997

Médica

Endereço : Rua Jardim Botânico, 674 – Sala 311
Bairro : Jardim Botânico – Rio de Janeiro – RJ
Telefone : (21) 2259-4016

Também atende na Barra da Tijuca

 

Dra Teresa Seiler Alergologista no Jardim Botânico

Dra Teresa Seiler Alergologista no Jardim Botânico

Dra Teresa Seiler Alergologista no Jardim Botânico

CRM : 52.28997-8

Médica

Alergologia Adulta e Pediátrica

Médica

Currículo :
– Formada em Medicina pela UFF
– Curso de Pós Graduação na PUC- RJ
– Título de especialista em Alergia e Imunologia
– Coordenadora da Pós Graduação em Alergia e Imunologia pela Escola Médica de Pós Graduação da PUC-RJ desde 1997

Médica

Endereço : Rua Jardim Botânico, 674 – Sala 311
Bairro : Jardim Botânico – Rio de Janeiro – RJ
Telefone : (21) 2259-4016

Também atende na Barra da Tijuca

 

 

Dr Rodrigo Sarlo Nefrologista no Rio de Janeiro

Dr Rodrigo Sarlo Nefrologista no Rio de Janeiro

Dr Rodrigo Sarlo Nefrologista no Rio de Janeiro

CRM : 52.83964-7

Nefrologista
.

FORMAÇÃO ACADÊMICA :
– Graduação em Medicina pela Fundação Técnico Educacional Souza Marques (2007)
– Residência Médica em Nefrologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2011-2013)
– Coordenação de Transplantes pela Universidade de Barcelona: Transplant Procurement Management (2012) e Tissue Banking and Advanced Therapies (2015).
– MBA de Gestão em Saúde pela COPPEAD/UFRJ (2014)
– Doutorado em curso pela COPPEAD/UFRJ (desde 2015).

.

ATUAÇÃO PROFISSIONAL :

– Médico Nefrologista do Hospital CopaStar (desde 2017) : http://www.copastar.com.br
– Médico Nefrologista do Hospital Barra D’or (desde 2015) : http://www.barrador.com.br
– Consultor médico da Fresenius Medical Care (desde 2016) : http://www.fmc-ag.com.br
– Coordenador do Serviço de Pesquisa do Programa Estadual de Transplantes (desde JUL/17) : http://www.transplante.rj.gov.br

*atuou como Coordenador Geral do Programa Estadual de Transplantes (SET/2012 a JUL/2017) e Nefrologista do Hospital Copa D’or (2013-2014), além de outros Serviços de Diálise Móvel e Clínicas de Diálise (entre 2011 e 2013).

.

SOCIEDADES MÉDICO-CIENTÍFICAS :
– Membro da Sociedade Brasileira de Nefrologia (SBN)
– Membro da Associação Brasileira de Transplante de Órgãos (ABTO)
– Membro da International Society of Organ Donation and Procurement (ISODP)
– Membro da Transplantation Society (TTS)

.

PREMIAÇÕES :
– Troféu Alexandre Adler (2014) pelo SINDHRIO: concedido à instituição ou profissional de saúde que tenha se destacado na contribuição para o avanço da medicina, pesquisa, atendimento médico-hospitalar e qualidade de vida da população brasileira

– Prêmio Científico do 13° Congresso da ISODP (2015): Reconhecimento pela Excelência do trabalho científico:
Impact of Introducing Full-Time In-house Coordinators on Referral and Organ Donation Rates in Rio de Janeiro State Hospitals: A Healthcare Innovation Practice

– Linkedin : https://br.linkedin.com/in/rodrigo-sarlo-322a6610b
– Currículo Lattes : http://lattes.cnpq.br/214462124547206

Médico

Endereço 1 : Avenida Ayrton Senna, 2.600 – Link 3 – Portaria 1 – Sala 421
Bairro : Barra da Tijuca – Rio de Janeiro – RJ
Telefone : (21) 3439-6287
Médico
Endereço : Rua Jardim Botânico, 674 – Sala 405
Bairro : Jardim Botânico – Rio de Janeiro – RJ
Telefone : (21) 2249-9131

O PAPEL DO NEFROLOGISTA E QUANDO PROCURAR UM :

Os rins são os órgãos do corpo humano responsáveis pela filtração do sangue, através da remoção de substâncias indesejáveis e pelo controle do balanço de líquidos e eletrólitos em nosso organismo, como sódio e potássio por exemplo. Além disso, também produzem hormônios, como a eritropoetina, e promovem a conversão de vitamina D em sua forma ativa.

Diversas doenças podem acometer os rins, fazendo com que a função renal deteriore ao longo do tempo, levando a uma piora da qualidade de vida e até mesmo, aumentando a mortalidade. Alguns sinais de perda acentuada de função renal são edema (‘inchaço no corpo’), urina espumosa, cansaço excessivo e/ou  aumento progressivo da pressão arterial.

DOENÇA RENAL CRÔNICA (DRC) 

A Doença Renal Crônica (DRC) é definida como qualquer alteração estrutural ou funcional do rim que persista por mais de três meses. Para melhor manejo clínico foi proposta uma classificação em cinco estágios, de acordo com o grau de funcionamento do rim. As principais causas de DRC são Diabetes Mellitus e Hipertensão Arterial, mas algumas doenças genéticas ou auto-imunes também podem levar à DRC, de forma mais acelerada inclusive.

– No estágio inicial, ou estágio 1, as alterações não cursam com a piora de função renal enquanto que, nos estágios avançados, como o estágio 5, existe comprometimento severo e deve-se buscar métodos de substituição do órgão, como a diálise, por exemplo.

– A creatinina no sangue é o marcador mais utilizado para o estadiamento e acompanhamento. O valor de referência da creatinina geralmente é entre 0.6 e 1.2 mg/dL.

– A perda de sangue (hematúria) ou de proteína (proteinúria) pela urina são sinais de alerta e na maioria das vezes indicam avaliação mais detalhada.

ATUAÇÕES DO NEFROLOGISTA

1. Prevenir alguns distúrbios, como as infecções urinárias de repetição e a formação de cálculos urinários, uma vez que essas alterações decorrem muitas vezes de problemas do metabolismo e necessitam de investigação e cuidados específicos.

2. O tratamento da hipertensão arterial, já que um dos principais mecanismos fisiopatológicos está relacionado com o eixo renina-angiotensina-aldosterona, regulado pelo rim.

3. Manejo da DRC, sobretudo quando a perda de função renal é acentuada. O acompanhamento específico com nefrologista a partir do estágio IIIB, ou seja, quando a função renal é menor do que 45mL/min/1,73m2 (ou “inferior a 45%”) é decisivo na redução da velocidade progressão.

4. Indicação e manejo da Terapia Renal Substitutiva (TRS), que deverá ser realizada quando a perda de função renal é tão acentuada que torna-se incompatível com a vida. A hemodiálise, a diálise peritoneal e o transplante renal são os métodos disponíveis atualmente para este fim.

Além disso, vale ressaltar que algumas doenças podem provocar a piora da função renal de forma rápida e acelerada, levando a uma condição denominada INJÚRIA RENAL AGUDA (IRA), que também e de responsabilidade do nefrologista.

A IRA geralmente é identificada em ambiente hospitalar e pode cursar com necessidade de TRS, geralmente hemodiálise, de forma temporária na maioria dos casos dado o habitual padrão de reversibilidade.

Por fim, é importante dizer que o texto acima tem um caráter ‘generalista’ e superficial. Por isso, realizar periodicamente consultas de rotina e cuidar de sua saúde é fundamental para ter uma vida longeva e feliz. Afinal, prevenir é melhor do que remediar!!!

Dr Rodrigo Sarlo Nefrologista no Jardim Botânico

Dr Rodrigo Sarlo Nefrologista no Jardim Botânico

Dr Rodrigo Sarlo Nefrologista no Jardim Botânico

CRM : 52.83964-7

Nefrologista
.

FORMAÇÃO ACADÊMICA :
– Graduação em Medicina pela Fundação Técnico Educacional Souza Marques (2007)
– Residência Médica em Nefrologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2011-2013)
– Coordenação de Transplantes pela Universidade de Barcelona: Transplant Procurement Management (2012) e Tissue Banking and Advanced Therapies (2015).
– MBA de Gestão em Saúde pela COPPEAD/UFRJ (2014)
– Doutorado em curso pela COPPEAD/UFRJ (desde 2015).

.

ATUAÇÃO PROFISSIONAL :

– Médico Nefrologista do Hospital CopaStar (desde 2017) : http://www.copastar.com.br
– Médico Nefrologista do Hospital Barra D’or (desde 2015) : http://www.barrador.com.br
– Consultor médico da Fresenius Medical Care (desde 2016) : http://www.fmc-ag.com.br
– Coordenador do Serviço de Pesquisa do Programa Estadual de Transplantes (desde JUL/17) : http://www.transplante.rj.gov.br

*atuou como Coordenador Geral do Programa Estadual de Transplantes (SET/2012 a JUL/2017) e Nefrologista do Hospital Copa D’or (2013-2014), além de outros Serviços de Diálise Móvel e Clínicas de Diálise (entre 2011 e 2013).

.

SOCIEDADES MÉDICO-CIENTÍFICAS :
– Membro da Sociedade Brasileira de Nefrologia (SBN)
– Membro da Associação Brasileira de Transplante de Órgãos (ABTO)
– Membro da International Society of Organ Donation and Procurement (ISODP)
– Membro da Transplantation Society (TTS)

.

PREMIAÇÕES :
– Troféu Alexandre Adler (2014) pelo SINDHRIO: concedido à instituição ou profissional de saúde que tenha se destacado na contribuição para o avanço da medicina, pesquisa, atendimento médico-hospitalar e qualidade de vida da população brasileira

– Prêmio Científico do 13° Congresso da ISODP (2015): Reconhecimento pela Excelência do trabalho científico:
Impact of Introducing Full-Time In-house Coordinators on Referral and Organ Donation Rates in Rio de Janeiro State Hospitals: A Healthcare Innovation Practice

– Linkedin : https://br.linkedin.com/in/rodrigo-sarlo-322a6610b
– Currículo Lattes : http://lattes.cnpq.br/214462124547206

Médico

Médico
Endereço : Rua Jardim Botânico, 674 – Sala 405
Bairro : Jardim Botânico – Rio de Janeiro – RJ
Telefone : (21) 2249-9131
* marcação de consultas após as 13hs
Também atende na Barra da Tijuca

O PAPEL DO NEFROLOGISTA E QUANDO PROCURAR UM :

Os rins são os órgãos do corpo humano responsáveis pela filtração do sangue, através da remoção de substâncias indesejáveis e pelo controle do balanço de líquidos e eletrólitos em nosso organismo, como sódio e potássio por exemplo. Além disso, também produzem hormônios, como a eritropoetina, e promovem a conversão de vitamina D em sua forma ativa.

Diversas doenças podem acometer os rins, fazendo com que a função renal deteriore ao longo do tempo, levando a uma piora da qualidade de vida e até mesmo, aumentando a mortalidade. Alguns sinais de perda acentuada de função renal são edema (‘inchaço no corpo’), urina espumosa, cansaço excessivo e/ou  aumento progressivo da pressão arterial.

DOENÇA RENAL CRÔNICA (DRC) 

A Doença Renal Crônica (DRC) é definida como qualquer alteração estrutural ou funcional do rim que persista por mais de três meses. Para melhor manejo clínico foi proposta uma classificação em cinco estágios, de acordo com o grau de funcionamento do rim. As principais causas de DRC são Diabetes Mellitus e Hipertensão Arterial, mas algumas doenças genéticas ou auto-imunes também podem levar à DRC, de forma mais acelerada inclusive.

– No estágio inicial, ou estágio 1, as alterações não cursam com a piora de função renal enquanto que, nos estágios avançados, como o estágio 5, existe comprometimento severo e deve-se buscar métodos de substituição do órgão, como a diálise, por exemplo.

– A creatinina no sangue é o marcador mais utilizado para o estadiamento e acompanhamento. O valor de referência da creatinina geralmente é entre 0.6 e 1.2 mg/dL.

– A perda de sangue (hematúria) ou de proteína (proteinúria) pela urina são sinais de alerta e na maioria das vezes indicam avaliação mais detalhada.

ATUAÇÕES DO NEFROLOGISTA

1. Prevenir alguns distúrbios, como as infecções urinárias de repetição e a formação de cálculos urinários, uma vez que essas alterações decorrem muitas vezes de problemas do metabolismo e necessitam de investigação e cuidados específicos.

2. O tratamento da hipertensão arterial, já que um dos principais mecanismos fisiopatológicos está relacionado com o eixo renina-angiotensina-aldosterona, regulado pelo rim.

3. Manejo da DRC, sobretudo quando a perda de função renal é acentuada. O acompanhamento específico com nefrologista a partir do estágio IIIB, ou seja, quando a função renal é menor do que 45mL/min/1,73m2 (ou “inferior a 45%”) é decisivo na redução da velocidade progressão.

4. Indicação e manejo da Terapia Renal Substitutiva (TRS), que deverá ser realizada quando a perda de função renal é tão acentuada que torna-se incompatível com a vida. A hemodiálise, a diálise peritoneal e o transplante renal são os métodos disponíveis atualmente para este fim.

Além disso, vale ressaltar que algumas doenças podem provocar a piora da função renal de forma rápida e acelerada, levando a uma condição denominada INJÚRIA RENAL AGUDA (IRA), que também e de responsabilidade do nefrologista.

A IRA geralmente é identificada em ambiente hospitalar e pode cursar com necessidade de TRS, geralmente hemodiálise, de forma temporária na maioria dos casos dado o habitual padrão de reversibilidade.

Por fim, é importante dizer que o texto acima tem um caráter ‘generalista’ e superficial. Por isso, realizar periodicamente consultas de rotina e cuidar de sua saúde é fundamental para ter uma vida longeva e feliz. Afinal, prevenir é melhor do que remediar!!!

Dra Yolanda Tolentino Retosigmoidoscopia no Jardim Botânico

Dra Yolanda Tolentino Retosigmoidoscopia no Jardim Botânico

Dra Yolanda Tolentino Retosigmoidoscopia no Jardim Botânico

CRM : 52.67937-2

Endereço : Rua Professor Saldanha, 142

Bairro : Jardim Botânico – Rio de Janeiro – RJ

Telefones : (21) 3570-9536 / (21) 99900-7119

Também atende na Barra da Tijuca

Aceita os convênios (planos de saúde) :
– Golden Cross
– Saúde Caixa
– Camperj

Dra Yolanda Tolentino Colonoscopia no Jardim Botânico

Dra Yolanda Tolentino Colonoscopia no Jardim Botânico

Dra Yolanda Tolentino Colonoscopia no Jardim Botânico

CRM : 52.67937-2

Endereço : Rua Professor Saldanha, 142

Bairro : Jardim Botânico – Rio de Janeiro – RJ

Telefones : (21) 3570-9536 / (21) 99900-7119

Também atende na Barra da Tijuca

Aceita os convênios (planos de saúde) :
– Golden Cross
– Saúde Caixa
– Camperj

 

Dr Rodrigo Jose Cirurgia de Coluna no Jardim Botanico

Dr Rodrigo Jose Cirurgia de Coluna no Jardim Botanico

Dr Rodrigo Jose Cirurgia de Coluna no Jardim Botanico

Cirurgia da Coluna no Jardim Botânico

CRM 52.73556-6
SBOT 11318

Endereço: Localizado na Rua Jardim Botânico, número 700 – sala 503

Bairro: Jardim Botânico, Rio de Janeiro – RJ

Telefones: (21) 2274-0542  (21) 99805-3040

Também oferece atendimento no bairro da Barra da Tijuca.

Pró Imuno Alergologista em Botafogo

Pró Imuno Alergologista em Botafogo

Pró Imuno Alergologista em Botafogo

Clínica Pró Imuno

www.clinicaproimuno.com.br

Endereço : Rua Dona Mariana, 143 – sala E26 – Botafogo Medical Center (próximo a Rua Mena Barreto).

Bairro : Botafogo – Rio de Janeiro – RJ

Telefones : (21) 2535-7204 / 2527-4206 / 2527-3562

Também atendemos no bairro da Barra da Tijuca.

Dra. Carla Maria M.A. Goulart

CRM 52-54664-8

  • Médica pós-graduada em Alergia e Imunologia pela Santa Casa de Misericórdia do Rio de Janeiro e professora auxiliar do Curso de Especialização em Imunologia, Imunopatologia e Alergia Clínica e Laboratorial da Unidade de Imunologia Clínica e Experimental da Santa Casa da Misericórdia do Rio de Janeiro.

 

Dra. Cláudia Lúcia Duarte de Moraes

CRM 52-61602-1

  • Médica pós-graduada em Alergia e Imunologia pela Santa Casa da Misericórdia do Rio de Janeiro, e pediatra do Centro Pediátrico da Lagoa.

 

Dr. Jorge Soares de Oliveira

CRM 52-69903-9

  • Médico pós-graduado em Alergia e Imunologia pela Santa Casa de Misericórdia do Rio de Janeiro e professor auxiliar do Curso de Especialização em Imunologia, Imunopatologia e Alergia Clínica e Laboratorial da Unidade de Imunologia Clínica e Experimental da Santa Casa da Misericórdia do Rio de Janeiro.

 

Dr. Ricardo Balesdent Barreira

CRM 52-46797-0

  • Médico e professor auxiliar do Curso de Especialização em Imunologia, Imunopatologia e Alergia Clínica e Laboratorial da Unidade de Imunologia Clínica e Experimental da Santa Casa da Misericórdia do Rio de Janeiro. Mestre em Ciências da Saúde pelo Instituto Fernandes Figueira – FIOCRUZ.

 

 

Menu