Dr Luiz Alberto Duque Cirurgião Vascular no Centro do Rio

Dr Luiz Alberto Duque Cirurgião Vascular no Centro do Rio

Dr Luiz Alberto Duque Cirurgião Vascular no Centro do Rio

CRM : 52.86035-2

Médico

 

Currículo :
– Graduação em Medicina – Centro Universitário Serra dos Órgãos – Teresópolis – Rio de Janeiro – RJ
– Formação em Cirurgia Endovascular – Hospital Municipal Souza Aguiar
– Formação em Cirurgia Vascular – Hospital Federal do Andaraí
– Residência Médica em Cirurgia Geral – Escola Superior de Ciências da Santa Casa de Misericórdia de Vitória
– Participou do Programa de Saúde da Família, no Centro Universitário Serra dos Órgãos, em Teresópolis
– Fez extensão universitária em Internato Eletivo, no Hospital Geral de Bonsucesso
– Fez curso de curta duração em Cardiologia para Endocrinologistas, no Instituto Fleury
– Fez curso de curta duração em Exames Complementares em Cardiologia, no Centro Universitário Serra dos Órgãos
– Fez curso de curta duração em Eletrocardiograma do Professor Ademir Batista da Cunha, no Instituto Nacional de Cardiologia
– Fez curso de curta duração em Uso de Silicone Líquido no Pé Diabético, na Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular
– Fez curso de curta duração em Atendimento de Emergência Pré-Hospitalar, na Anjos Life Support
– Fez curso de curta duração em Summer Session, na Cushing Academy, na Califórnia, nos Estados Unidos

Médico
Endereço : Avenida Rio Branco, 156 – Sala 1.010 – Edifício Central
Bairro : Centro – Rio de Janeiro – RJ
Telefones : (21) 2240-8640 / (21) 2220-0122

Também atende na Barra da Tijuca

Aneurisma de Aorta ABD

É a diltação da aorta, maior vaso do corpo. A aorta vai do coração, passa pelo tórax e vai até o abdômen, onde se divide para fornecer sangue para as pernas.

A ruptura dessa dilatação pode ser fatal, isso explica a importância do seu tratamento.

Hoje, a técnica de escolha é por endovascular.

Médico

Fístula Artério Venosa

É uma anastamose entre uma veia e uma artéria, feita através de uma cirurgia.

Esse maior fluxo na veia permite um espessamento e dilatação do vaso, permitindo assim múltiplas punções para realização de hemodiálise.

Médico

Doença Arterial Obstrutiva Periférica (DAOP)

É uma doença que ocorre em virtude de estenoses ou oclusões das artérias, levando a um baixo fluxo sanguíneo para as extremidades, como braços e pernas.

Os sintomas causados podem ser de dor ou até necrose de membros.

Os principais fatores de risco associados são :

– Colesterol elevado

– Diabetes

– Doença cardíaca

– Pressão arterial alta

– Doença renal que envolva hemodiálise

– Fumo

– Derrame (doença cérebro vascular)

– Histórico familiar

– Sedentarismo

– Obesidade

– Idade avançada

Médico

Doença Renovascular : Condutas Diagnósticas e Terapêutica

A estenose da artéria renal (EAR) é uma causa comum de hipertensão secundária e sua incidência parece estar aumento, devido ao aumento da aterosclerose, à medida em que a população envelhece.

A prevalência da EAR aterocleróstica aumenta com idade e a presença de diabetes, doença arterial periférica, doença arterial coronariana, hipertensão e dislipdemia.

A displasia fibromuscular é a causa de, aproximadamente, 10 % dos casos de EAR e é comumente observado em mulheres jovens e de meia-idade.

A EAR pode causar insuficiência renal, hipertensão incontrolada, falência cardíaca congestiva e edema agudo pulmonar recorrente e está associada ao aumento da morbidade e mortalidade cardiovascular.

Ocorrem melhores significativas na detecção não invasiva da estenose da artéria renal e as técnicas de revascularização têm evoluído tanto que a maioria das revascularizações da artéria renal é feita de forma percutânea.

Médico

Doença Arterial Obstretiva Carotídea

Você sabia que a doença da artéria carótida, caracterizada pela obstrução do vaso sanguíneo situado no pescoço,é uma das principais causas de derrame no mundo moderno ?

A doença pode passar despercebida por anos e o seu primeiro sintoma pode ser o AVC.

A maioria dos pacientes com estenose carotídea de forma assintomática e o diagnóstico é feito pelo eco doppler colorido.

O sintoma mais importante é o ataque isquêmico transitório.

Se nenhuma terapia for instituída ,3 0% á 40% desses pacientes podem desenvolver um AVC (acidente vascular cerebral) isquêmico ,podendo levar a sequelas neurológicas (diabetes , hipertensão arterial , colesterol elevado, sedentarismo , tabagismo) são fatores de risco.

Logo, é importante seu diagnóstico e o tratamento adequado.

 

Dr Luiz Alberto Duque Angiologista no Centro do Rio

Dr Luiz Alberto Duque Angiologista no Centro do Rio

Dr Luiz Alberto Duque Angiologista no Centro do Rio

CRM : 52.86035-2

Médico

 

Currículo :
– Graduação em Medicina – Centro Universitário Serra dos Órgãos – Teresópolis – Rio de Janeiro – RJ
– Formação em Cirurgia Endovascular – Hospital Municipal Souza Aguiar
– Formação em Cirurgia Vascular – Hospital Federal do Andaraí
– Residência Médica em Cirurgia Geral – Escola Superior de Ciências da Santa Casa de Misericórdia de Vitória
– Participou do Programa de Saúde da Família, no Centro Universitário Serra dos Órgãos, em Teresópolis
– Fez extensão universitária em Internato Eletivo, no Hospital Geral de Bonsucesso
– Fez curso de curta duração em Cardiologia para Endocrinologistas, no Instituto Fleury
– Fez curso de curta duração em Exames Complementares em Cardiologia, no Centro Universitário Serra dos Órgãos
– Fez curso de curta duração em Eletrocardiograma do Professor Ademir Batista da Cunha, no Instituto Nacional de Cardiologia
– Fez curso de curta duração em Uso de Silicone Líquido no Pé Diabético, na Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular
– Fez curso de curta duração em Atendimento de Emergência Pré-Hospitalar, na Anjos Life Support
– Fez curso de curta duração em Summer Session, na Cushing Academy, na Califórnia, nos Estados Unidos

Médico

Endereço : Avenida Rio Branco, 156 – Sala 1.010 – Edifício Central
Bairro : Centro – Rio de Janeiro – RJ
Telefones : (21) 2240-8640 / (21) 2220-0122

Também atende na Barra da Tijuca

Escleroterapia

As telangectasias (vasinhos) e varizes geticulares afetam a aparência e a qualidade de vida de um terço da população ocidental.

Elas podem ser assintomáticas ou podem levar a sintomas como :

– Sensação de peso

– Fadiga ou dor latejante

– Ardência

As veias doentes podem ser identificadas por sua aparência tortuosa, saliente e superficial.

As veias reticulares são dos vasos menores, superficiais, azuis-esverdeadas, não solventes e tortuosas.

A telangiectosia ou rede de vasinhos são veias menores, azuladas ou vermelhas, têm menos de um centímetro de diâmetro.

A escleroterapia é indicada para eliminação da dor e do desconforto causado por veias varicosas, incluindo hemorragia e úlcera venosa.

Os agentes com melhores resultados são :

– Escleroterapia ampliada

– Escleroterapia com espuma densa

– Escleroterapia laser

– Escleroterapia laser + ampliada

Médico

Varizes

A causa da formação de varizes é multifatorial.

A herança familiar é um dos principais fatores para que ocorra a patologia.

A doença inicia-se com enfraquecimento da parede da veia, levando a uma dilatação, e se tornando varicosa.

Sabemos que alguns fatores, em especial, contibuem para um agravamento da doença, como, por exemplo : sedentarismo, obesidade, passar muito tempo em pé ou sentado, gestações.

Esses hábitos citados podem gerar a dilatação permanente e localizada da veia, sendo denominada de variz quando uma, e varizes quando mais de uma.

Médico

Doença Renovascular : Condutas Diagnósticas e Terapêutica

A estenose da artéria renal (EAR) é uma causa comum de hipertensão secundária e sua incidência parece estar aumento, devido ao aumento da aterosclerose, à medida em que a população envelhece.

A prevalência da EAR aterocleróstica aumenta com idade e a presença de diabetes, doença arterial periférica, doença arterial coronariana, hipertensão e dislipdemia.

A displasia fibromuscular é a causa de, aproximadamente, 10 % dos casos de EAR e é comumente observado em mulheres jovens e de meia-idade.

A EAR pode causar insuficiência renal, hipertensão incontrolada, falência cardíaca congestiva e edema agudo pulmonar recorrente e está associada ao aumento da morbidade e mortalidade cardiovascular.

Ocorrem melhores significativas na detecção não invasiva da estenose da artéria renal e as técnicas de revascularização têm evoluído tanto que a maioria das revascularizações da artéria renal é feita de forma percutânea.

Dr José Milfont Cirurgia Robótica no Rio de Janeiro

Dr José Milfont Cirurgia Robótica no Rio de Janeiro

Dr José Milfont Cirurgia Robótica no Rio de Janeiro

CRM : 5243911-6

Médico

– Membro Titular da Sociedade Brasileira de Urologia
– Diretor do Instituto de Urologia do Rio de Janeiro – UROTECH
– Diplomado pela Faculdade de Medicina da UFPe
– Residência Médica em Cirurgia Geral no Hospital Adventista Silvestre
– Residência Médica em Urologia no Hospital dos Servidores do Estado – RJ
– Mestrado em Urologia pela Escola de Ciências Médicas da UERJ
– Ex-presidente da SBU/RJ
– Ex-diretor Técnico do Hospital Central do Corpo de Bombeiros do Rio de Janeiro
– Coautor do livro Urologia Minimamente Invasiva – Editora Revinter
– Membro da Câmara Técnica de Urologia do CREMERJ
– Membro Correspondente da Associação Americana de Urologia

Endereço 1 : Rua Carlos Góis, 375 – sala 104

Bairro : Leblon – Rio de Janeiro, RJ

Telefones : (21) 2249-9306 | (21) 2249-7891 | (21) 3874-0915

Site : http://www.urotech.com.br/index.php

Médico

 

Endereço 2 : Avenida Rio Branco, 156 – Salas 1601/1602 – Edifício Avenida Central

Bairro : Centro da Cidade – Rio de Janeiro, RJ

Telefones : (21) 2509-7344 / (21) 98839-6696

Alguns procedimentos feitos pelo Urologista :

Cirurgia robótica – A cirurgia robótica minimamente invasiva , disponível para o tratamento de diversas patologias, pode beneficiar pacientes na diminuição da dor e do desconforto no pós-operatório, na diminuição de perdas sanguíneas durante o procedimento, no menor tempo de permanência no hospital e ainda oferece a oportunidade de retorno mais rápido às suas atividades diárias.​ O alto nível de segurança do procedimento trazem grandes benefícios aos pacientes, tais como : menor tempo cirúrgico, menor tempo de internação e rápida recuperação no período pós-operatório.

Litotripsia – O grande diferencial neste método de tratamento é o fato de ser feita a fragmentação dos cálculos urinários em qualquer localização do aparelho urinário, sem cortes, de maneira não-invasiva, sendo os fragmentos eliminados espontaneamente pela urina do paciente. Ondas de choque são ondas acústicas, semelhante às de ultra-som, porém com uma maior amplitude e uma menor freqüência. São propagadas em meio líquido de densidade muito próxima à dos tecidos orgânicos (pele, gordura, músculo, rim), de modo que atravessam os tecidos com mínima perda de energia. As ondas de choque podem ser produzidas por diversos tipos de litotriptores, e o UROTECH, Instituto de Urologia do Rio de Janeiro, onde o Dr José Cocisfran Alves Milfont Urologista no Leblon trabalha, dispõe de um aparelho com gerador eletromagnético de última geração, permitindo uma ótima tolerabilidade do procedimento pelo paciente, sem abrir mão da eficácia.

Biópsia de próstata guiada por Utrassonografia Transretal – O procedimento consiste na obtenção de pequenos fragmentos da próstata, por via endorretal, guiado por ultrassonografia. Conforme a solicitação do médico assistente, o exame pode ser realizado com ou sem anestesia. Caso haja opção de realizar o exame com anestesia, há necessidade do pedido médico e do agendamento prévio da mesma. No UROTECH, a anestesia é sempre realizada por um médico anestesista. Este exame é realizado somente com solicitação médica. No dia do exame, o cliente deve comparecer acompanhado. No caso de clientes com menos de 18 anos, o acompanhante deverá ser um responsável legal. Devem ser apresentados todos os resultados anteriores relacionados à próstata. Não é necessário fazer lavagem intestinal ou qualquer outro tipo de preparo intestinal prévio ao exame, porém os pacientes constipados aconselhamos uso de fleet enema duas horas antes do procedimento. Medicações anticoagulantes e antiagregantes plaquetários devem ser suspensas 7 dias antes do exame, com o consentimento e supervisão do médico assistente. No dia do exame o cliente deve confirmar a suspensão destes medicamentos. Caso não seja possível a interrupção destas medicações, aconselha-se a realização do procedimento em ambiente hospitalar.

O exame requer o uso de um antibiótico por via oral durante cinco dias, com o objetivo de diminuir a possibilidade de contaminação da próstata, que pode ocorrer durante a execução da biópsia. Convém esclarecer que a não-observação desse requisito impede a realização do procedimento. Na prática, o paciente deve comprar dez comprimidos de um antibiótico Cipro® 500 mg (ciprofloxacino) e tomar duas cápsulas na noite anterior ao exame, por volta das 21 horas, iniciando o jejum absoluto a partir desse horário. Na manhã seguinte, imediatamente após o exame o paciente precisa ingerir um comprimido de Ciprol® e repetir a dose de 12 em 12 horas, por quatro dias. No dia do exame, levar a medicação à unidade de atendimento. Os comprimidos devem ser tomados com um pouco de líquido, de preferência após duas horas de jejum, pois o antibiótico é absorvido mais rapidamente com o estômago vazio. Além disso, não podem ser associados a antiácidos, visto que eles reduzem sua absorção. Caso o médico assistente tenha prescrito antibiótico profilático, o paciente precisa entrar em contato com o UROTECH e informar a respeito.

Estudo Urodinâmico – É necessária apresentação de pedido médico. Pessoas com dificuldades de locomoção, muito idosas, ou que precisam usar de cadeiras de rodas devem estar acompanhadas para a realização da urodinâmica. É necessário chegar com 30 minutos de antecedência para abertura da ficha e acomodação em sala. Medicações anticoagulantes e antiagregantes plaquetários devem ser suspensas 7 dias antes do exame, com o consentimento e supervisão do médico assistente. Este exame é contraindicado na vigência de infecção urinária (cistite bacteriana). Em caso de dúvida, o paciente deve consultar o médico que solicitou o exame ou realizar urocultura. Em mulheres, a urodinâmica não deve ser feita nos dias iniciais da menstruação e/ou de maior fluxo sanguíneo. Para a realização deste exame,recomenda-se estar alimentado com uma refeição habitual (evitar alimentos pesados ou em abundância), feita, no mínimo, uma hora antes do exame. A bexiga deve estar confortavelmente cheia. Para tanto, é necessário ficar de 2 a 3 horas sem urinar ou pelo tempo que conseguir. Podem ser tomados líquidos normalmente antes do exame, mas sem excesso. Pacientes com sonda vesical devem levar ao UROTECH, no dia do exame, um conjunto novo de sonda e bolsa coletora, pois, para a realização da urodinâmica, a sonda é temporariamente retirada e não pode ser reutilizada, assim como a bolsa que compõe o conjunto fechado. Em caso de dúvida, o médico assistente deve ser consultado sobre outras especificações (calibre e material da sonda, tipo de bolsa, etc). Como regra geral, recomenda-se uma sonda de mesmo calibre, feita de silicone ou látex, de preferência, e bolsa coletora fechada. Exames de urina e urocultura devem ser realizados em outra data, uma vez que a amostra empregada na urodinâmica não pode ser utilizada em outras análises.

Videolaparoscopia Urológica – Atualmente a vídeolaparoscopia na área urológica tem sido indicada com mais freqüência para cirurgias urológicas, como a remoção de rins sem função ou com tumores, cistos renais volumosos, cirurgias para correção de estreitamento da junção do rim com ureter, entre outras. A vídeolaparoscopia para cirurgias urológicas é uma grande vantagem em relação à cirurgia convencional, já que a técnica possibilita o retorno do paciente às atividades em um prazo menor, o custo do procedimento acaba sendo mais barato, devido ao tempo de internação hospitalar ser menor e, além disso o procedimento determina maior conforto no pós-operatório e melhores resultados estéticos.

Endourologia – Endourologia é o segmento da urologia que se dedica a instrumentação endoscópica para cirurgias minimamente invasivas. Um método com muitas vantagens em relação às outras formas de cirurgia: maior conforto no pós operatório, excelentes resultados estéticos e menor tempo de recuperação do paciente.

Usando tecnologias de ponta, esse método é tido como o que há de mais moderno no tratamento de transtornos urinários e disfunções urológicas, permitindo ao médico uma seleção de opções que se ajustam as necessidades específicas do paciente.

Dr José Milfont Videolaparoscopia Urológica no Centro

Dr José Milfont Videolaparoscopia Urológica no Centro

Dr José Milfont Videolaparoscopia Urológica no Centro

CRM : 5243911-6

– Membro Titular da Sociedade Brasileira de Urologia

– Diretor do Instituto de Urologia do Rio de Janeiro – UROTECH

– Diplomado pela Faculdade de Medicina da UFPe

– Residência Médica em Cirurgia Geral no Hospital Adventista Silvestre

– Residência Médica em Urologia no Hospital dos Servidores do Estado – RJ

– Mestrado em Urologia pela Escola de Ciências Médicas da UERJ

– Ex-presidente da SBU/RJ

– Ex-diretor Técnico do Hospital Central do Corpo de Bombeiros do Rio de Janeiro

– Coautor do livro Urologia Minimamente Invasiva – Editora Revinter

– Membro da Câmara Técnica de Urologia do CREMERJ

– Membro Correspondente da Associação Americana de Urologia

Médico

Endereço : Avenida Rio Branco, 156 – Salas 1601/1602 – Edifício Avenida Central

Bairro : Centro da Cidade – Rio de Janeiro, RJ

Telefones : (21) 2509-7344 / (21) 98839-6696

Site : http://www.urotech.com.br/index.php

Também atende no bairro do Leblon.

Videolaparoscopia Urológica

Atualmente a vídeolaparoscopia na área urológica tem sido indicada com mais freqüência para cirurgias urológicas, como a remoção de rins sem função ou com tumores, cistos renais volumosos, cirurgias para correção de estreitamento da junção do rim com ureter, entre outras. A vídeolaparoscopia para cirurgias urológicas é uma grande vantagem em relação à cirurgia convencional, já que a técnica possibilita o retorno do paciente às atividades em um prazo menor, o custo do procedimento acaba sendo mais barato, devido ao tempo de internação hospitalar ser menor e, além disso o procedimento determina maior conforto no pós-operatória e melhores resultados estéticos.

Dr José Milfont Endourologia no Centro

Dr José Milfont Endourologia no Centro

Dr José Milfont Endourologia no Centro

CRM : 5243911-6

– Membro Titular da Sociedade Brasileira de Urologia

– Diretor do Instituto de Urologia do Rio de Janeiro – UROTECH

– Diplomado pela Faculdade de Medicina da UFPe

– Residência Médica em Cirurgia Geral no Hospital Adventista Silvestre

– Residência Médica em Urologia no Hospital dos Servidores do Estado – RJ

– Mestrado em Urologia pela Escola de Ciências Médicas da UERJ

– Ex-presidente da SBU/RJ

– Ex-diretor Técnico do Hospital Central do Corpo de Bombeiros do Rio de Janeiro

– Coautor do livro Urologia Minimamente Invasiva – Editora Revinter

– Membro da Câmara Técnica de Urologia do CREMERJ

– Membro Correspondente da Associação Americana de Urologia

Médico

Endereço : Avenida Rio Branco, 156 – Salas 1601/1602 – Edifício Avenida Central

Bairro : Centro da Cidade – Rio de Janeiro, RJ

Telefones : (21) 2509-7344 / (21) 98839-6696

 

Site : http://www.urotech.com.br/index.php

Também atende no bairro do Leblon.

Endourologia

Endourologia é o segmento da urologia que se dedica a instrumentação endoscópica para cirurgias minimamente invasivas. Um método com muitas vantagens em relação às outras formas de cirurgia: maior conforto no pós operatório, excelentes resultados estéticos e menor tempo de recuperação do paciente.

Usando tecnologias de ponta, esse método é tido como o que há de mais moderno no tratamento de transtornos urinários e disfunções urológicas, permitindo ao médico uma seleção de opções que se ajustam as necessidades específicas do paciente.

Dr José Milfont Biópsia de Próstata guiada por Ultrassonografia no Centro

Dr José Milfont Biópsia de Próstata guiada por Ultrassonografia no Centro

Dr José Milfont Biópsia de Próstata guiada por Ultrassonografia no Centro

CRM : 5243911-6

– Membro Titular da Sociedade Brasileira de Urologia

– Diretor do Instituto de Urologia do Rio de Janeiro – UROTECH

– Diplomado pela Faculdade de Medicina da UFPe

– Residência Médica em Cirurgia Geral no Hospital Adventista Silvestre

– Residência Médica em Urologia no Hospital dos Servidores do Estado – RJ

– Mestrado em Urologia pela Escola de Ciências Médicas da UERJ

– Ex-presidente da SBU/RJ

– Ex-diretor Técnico do Hospital Central do Corpo de Bombeiros do Rio de Janeiro

– Coautor do livro Urologia Minimamente Invasiva – Editora Revinter

– Membro da Câmara Técnica de Urologia do CREMERJ

– Membro Correspondente da Associação Americana de Urologia

Médico

Endereço : Avenida Rio Branco, 156 – Salas 1601/1602 – Edifício Avenida Central

Bairro : Centro da Cidade – Rio de Janeiro, RJ

Telefones : (21) 2509-7344 / (21) 98839-6696

 

Site : http://www.urotech.com.br/index.php

Também atende no bairro do Leblon.

Biópsia de Próstata guiada por Ultrassonografia

I – Informações sobre o procedimento
– O procedimento consiste na obtenção de pequenos fragmentos da próstata, por via endorretal, guiado por ultrassonografia.
– Conforme a solicitação do médico assistente, o exame pode ser realizado com ou sem anestesia. Caso haja opção de realizar o exame com anestesia, há necessidade do pedido médico e do agendamento prévio da mesma. No UROTECH, a anestesia é sempre realizada por um médico anestesista.

II – Critérios de realização
– Este exame é realizado somente com solicitação médica.
– No dia do exame, o cliente deve comparecer acompanhado. No caso de clientes com menos de 18 anos, o acompanhante deverá ser um responsável legal.
– Devem ser apresentados todos os resultados anteriores relacionados à próstata.

III – Preparo
– Não é necessário fazer lavagem intestinal ou qualquer outro tipo de preparo intestinal prévio ao exame, porém os pacientes constipados aconselhamos uso de fleet enema duas horas antes do procedimento.
– Medicações anticoagulantes, como varfarina (Marevan®, Coumadin®) e antiagregantes plaquetários, como ácido acetilsalicílico (Aspirina®, AAS®, Melhoral®, Bufferin®, etc), clopidofrel (Plavix®) e Ticlopidina (Ticlid®) devem ser suspensas 7 dias antes do exame, com o consentimento e supervisão do médico assistente. No dia do exame o cliente deve confirmar a suspensão destes medicamentos. Caso não seja possível a interrupção destas medicações, aconselha-se a realização do procedimento em ambiente hospitalar.
– O exame requer o uso de um antibiótico por via oral durante cinco dias, com o objetivo de diminuir a possibilidade de contaminação da próstata, que pode ocorrer durante a execução da biópsia. Convém esclarecer que a não-observação desse requisito impede a realização do procedimento.

– Na prática, o paciente deve comprar dez comprimidos do antibiótico Cipro® 500 mg (ciprofloxacino) e tomar duas cápsulas na noite anterior ao exame, por volta das 21 horas, iniciando o jejum absoluto a partir desse horário.
– Na manhã seguinte, imediatamente após o exame o paciente precisa ingerir um comprimido de Ciprol®  e repetir a dose de 12 em 12 horas, por quatro dias. No dia do exame, levar a medicação à unidade de atendimento.
– Os comprimidos devem ser tomados com um pouco de líquido, de preferência após duas horas de jejum, pois o antibiótico é absorvido mais rapidamente com o estômago vazio. Além disso, não podem ser associados a antiácidos, visto que eles reduzem sua absorção.
– Caso o médico assistente tenha prescrito antibiótico profilático, o paciente precisa entrar em contato com o UROTECH e informar a respeito.

IV – Cuidados após o exame
– O paciente não deve ir embora dirigindo.

V – Possíveis complicações
– Infecção: como o exame é realizado através do reto, há possibilidade de contaminação da próstata. Para diminuir esta possibilidade, o cliente é orientado a tomar um antibiótico. Entretanto, mesmo com o uso preventivo do antibiótico, existe uma chance muito pequena de ocorrer infecção local.
– Sangramento: é comum haver pequenos sangramentos pelo reto, urina e esperma nos dias subsequentes à biópsia. Hemorragias importantes são raras.

VI – Observação
– Para este exame, além do procedimento de biópsia, será realizada e cobrada também a análise do material biopsiado (exames anatomopatológicos).
– Em caso de Plano de Saúde, é necessária a solicitação médica de biópsia guiada por ultra-som e anatomopatológicos.

Dr José Milfont Urodinâmica no Centro

Dr José Milfont Urodinâmica no Centro

Dr José Milfont Urodinâmica no Centro

CRM : 5243911-6

– Membro Titular da Sociedade Brasileira de Urologia

– Diretor do Instituto de Urologia do Rio de Janeiro – UROTECH

– Diplomado pela Faculdade de Medicina da UFPe

– Residência Médica em Cirurgia Geral no Hospital Adventista Silvestre

– Residência Médica em Urologia no Hospital dos Servidores do Estado – RJ

– Mestrado em Urologia pela Escola de Ciências Médicas da UERJ

– Ex-presidente da SBU/RJ

– Ex-diretor Técnico do Hospital Central do Corpo de Bombeiros do Rio de Janeiro

– Coautor do livro Urologia Minimamente Invasiva – Editora Revinter

– Membro da Câmara Técnica de Urologia do CREMERJ

– Membro Correspondente da Associação Americana de Urologia

Médico

Endereço : Avenida Rio Branco, 156 – Salas 1601/1602 – Edifício Avenida Central

Bairro : Centro da Cidade – Rio de Janeiro, RJ

Telefones : (21) 2509-7344 / (21) 98839-6696

 

Site : http://www.urotech.com.br/index.php

Também atende no bairro do Leblon.

Urodinâmica

I – Critérios de realização
– É necessária apresentação de pedido médico.
– Pessoas com dificuldades de locomoção, muito idosas, debilitadas e/ou em uso de cadeiras de rodas devem estar acompanhadas para a realização da urodinâmica.
– É necessário chegar com 30 minutos de antecedência para abertura da ficha e acomodação em sala.
– Medicações anticoagulantes, como varfarina (Marevan®, Coumadin®) e antiagregantes plaquetários, como ácido acetilsalicílico (Aspirina®, AAS®, Melhoral®, Bufferin®, etc), clopidogel (Plavix®) e Ticlopidina (Ticlid®) devem ser suspensas 7 dias antes do exame, com o consentimento e supervisão do médico assistente.

II – Contraindicações
– Este exame é contraindicado na vigência de infecção urinária (cistite bacteriana). Em caso de dúvida, o paciente deve consultar o médico que solicitou o exame ou realizar urocultura.
– Em mulheres, a urodinâmica não deve ser feita nos dias iniciais da menstruação e/ou de maior fluxo sanguíneo.

III – Preparo
– Para a realização deste exame,recomenda-se estar alimentado com uma refeição habitual (evitar alimentos pesados ou em abundância), feita, no mínimo, uma hora antes do exame.
– A bexiga deve estar confortavelmente cheia. Para tanto, é necessário ficar de 2 a 3 horas sem urinar ou pelo tempo que conseguir.
– Podem ser tomados líquidos normalmente antes do exame, mas sem excesso.
– Pacientes com sonda vesical devem levar ao UROTECH, no dia do exame, um conjunto novo de sonda e bolsa coletora, pois, para a realização da urodinâmica, a sonda é temporariamente retirada e não pode ser reutilizada, assim como a bolsa que compõe o conjunto fechado. Em caso de dúvida, o médico assistente deve ser consultado sobre outras especificações (calibre e material da sonda, tipo de bolsa, etc). Como regra geral, recomenda-se uma sonda de mesmo calibre, feita de silicone ou látex, de preferência, e bolsa coletora fechada.

IV – Outros exames
– Exames de urina e urocultura devem ser realizados em outra data, uma vez que a amostra empregada na urodinâmica não pode ser utilizada em outras análises.

Dr José Milfont Cirurgia Robótica no Centro

Dr José Milfont Cirurgia Robótica no Centro

Dr José Milfont Cirurgia Robótica no Centro

CRM : 5243911-6

– Membro Titular da Sociedade Brasileira de Urologia

– Diretor do Instituto de Urologia do Rio de Janeiro – UROTECH

– Diplomado pela Faculdade de Medicina da UFPe

– Residência Médica em Cirurgia Geral no Hospital Adventista Silvestre

– Residência Médica em Urologia no Hospital dos Servidores do Estado – RJ

– Mestrado em Urologia pela Escola de Ciências Médicas da UERJ

– Ex-presidente da SBU/RJ

– Ex-diretor Técnico do Hospital Central do Corpo de Bombeiros do Rio de Janeiro

– Coautor do livro Urologia Minimamente Invasiva – Editora Revinter

– Membro da Câmara Técnica de Urologia do CREMERJ

– Membro Correspondente da Associação Americana de Urologia

Médico

Endereço : Avenida Rio Branco, 156 – Salas 1601/1602 – Edifício Avenida Central

Bairro : Centro da Cidade – Rio de Janeiro, RJ

Telefones : (21) 2509-7344 / (21) 98839-6696

 

Site : http://www.urotech.com.br/index.php

Também atende no bairro do Leblon.

Cirurgia robótica – Cirurgia robótica ou cirurgia assistida por robô é um procedimento cirúrgico onde o médico opera através de um console tipo joystick. Este tipo de cirurgia foi desenvolvido tanto para melhorar a capacidade dos cirurgiões realizando cirurgias abertas, quanto para minimizar o impacto em cirurgias minimamente invasivas.

Cerca de 80% das cirurgias robóticas são feitas por doenças ligadas à urologia e 20% pelo restante das demais especialidades médicas. A plataforma foi desenvolvida para cirurgia cardíaca para o procedimento de troca valvular, porém teve seu uso estendido à diversos outros casos cirúrgicos, a partir da urologia, através da prostatectomia radical. Vale ressaltar que hoje em dia, em mãos de cirurgiões habilitados e experientes, quase todas as cirurgias urológicas podem ser realizadas pela técnica robótica. Usando o Sistema Cirúrgico Da Vinci para uma cirurgia de Prostatectomia Radical ( tratamento do Câncer de Próstata), por exemplo, são feitas seis incisões (de 0,5 cm a 1,0 cm) no abdômen do paciente que permitem a inserção de hastes de aço inoxidável. As hastes são mantidas no local por quatro braços robóticos. Uma das hastes é equipada com uma câmera, ao passo que as outras três são equipadas com instrumentos cirúrgicos capazes de dissecar e suturar tecidos. Ao contrário da cirurgia convencional, esses instrumentos não são tocados diretamente pelas mãos do médico. Há poucos metros da mesa de operação, no console de controle, o cirurgião olha no visor para examinar as imagens em 3D, enviadas pela câmera no interior da paciente. As imagens em 3D, mostram o local da cirurgia e os instrumentos cirúrgicos instalados nas extremidades das hastes. Controles similares a joysticks localizados logo abaixo da tela são usados pelo cirurgião para manipular os instrumentos cirúrgicos. Cada vez que um dos joysticks é movido, o computador envia um sinal eletrônico para um dos instrumentos, que é movimentado em sincronia com os movimentos das mãos do cirurgião.

 

Dr José Milfont Urologista no Centro Rj

Dr José Milfont Urologista no Centro Rj

Dr José Milfont Urologista no Centro Rj

Dr José Cocisfran Alves Milfont Urologista no Centro Rj – Urologia

CRM : 5243911-6

– Membro Titular da Sociedade Brasileira de Urologia

– Diretor do Instituto de Urologia do Rio de Janeiro – UROTECH

– Diplomado pela Faculdade de Medicina da UFPe

– Residência Médica em Cirurgia Geral no Hospital Adventista Silvestre

– Residência Médica em Urologia no Hospital dos Servidores do Estado – RJ

– Mestrado em Urologia pela Escola de Ciências Médicas da UERJ

– Ex-presidente da SBU/RJ

– Ex-diretor Técnico do Hospital Central do Corpo de Bombeiros do Rio de Janeiro

– Coautor do livro Urologia Minimamente Invasiva – Editora Revinter

– Membro da Câmara Técnica de Urologia do CREMERJ

– Membro Correspondente da Associação Americana de Urologia

Médico

Endereço : Avenida Rio Branco, 156 – Salas 1601/1602 – Edifício Avenida Central

Bairro : Centro da Cidade – Rio de Janeiro, RJ

Telefones : (21) 2509-7344 / (21) 98839-6696

Site : http://www.urotech.com.br/index.php

Também atende no bairro do Leblon.

Alguns procedimentos feitos pelo Urologista no Centro Rj :

Litotripsia – O grande diferencial neste método de tratamento é o fato de ser feita a fragmentação dos cálculos urinários em qualquer localização do aparelho urinário, sem cortes, de maneira não-invasiva, sendo os fragmentos eliminados espontaneamente pela urina do paciente. Ondas de choque são ondas acústicas, semelhante às de ultra-som, porém com uma maior amplitude e uma menor freqüência. São propagadas em meio líquido de densidade muito próxima à dos tecidos orgânicos (pele, gordura, músculo, rim), de modo que atravessam  os tecidos com mínima perda de energia. As ondas de choque podem ser produzidas por diversos tipos de litotriptores, e o UROTECH, Instituto de Urologia do Rio de Janeiro, onde o Dr José Cocisfran Alves Milfont Urologista no Leblon trabalha, dispõe de um aparelho com gerador eletromagnético de última geração, permitindo uma ótima tolerabilidade do procedimento pelo paciente, sem abrir mão da eficácia.

Biópsia de próstata guiada por Utrassonografia Transretal – O procedimento consiste na obtenção de pequenos fragmentos da próstata, por via endorretal, guiado por ultrassonografia. Conforme a solicitação do médico assistente, o exame pode ser realizado com ou sem anestesia. Caso haja opção de realizar o exame com anestesia, há necessidade do pedido médico e do agendamento prévio da mesma. No UROTECH, a anestesia é sempre realizada por um médico anestesista. Este exame é realizado somente com solicitação médica. No dia do exame, o cliente deve comparecer acompanhado. No caso de clientes com menos de 18 anos, o acompanhante deverá ser um responsável legal. Devem ser apresentados todos os resultados anteriores relacionados à próstata. Não é necessário fazer lavagem intestinal ou qualquer outro tipo de preparo intestinal prévio ao exame, porém os pacientes constipados aconselhamos uso de fleet enema duas horas antes do procedimento. Medicações anticoagulantes e antiagregantes plaquetários devem ser suspensas 7 dias antes do exame, com o consentimento e supervisão do médico assistente. No dia do exame o cliente deve confirmar a suspensão destes medicamentos. Caso não seja possível a interrupção destas medicações, aconselha-se a realização do procedimento em ambiente hospitalar.
O exame requer o uso de um antibiótico por via oral durante cinco dias, com o objetivo de diminuir a possibilidade de contaminação da próstata, que pode ocorrer durante a execução da biópsia. Convém esclarecer que a não-observação desse requisito impede a realização do procedimento. Na prática, o paciente deve comprar dez comprimidos de um antibiótico Cipro® 500 mg (ciprofloxacino) e tomar duas cápsulas na noite anterior ao exame, por volta das 21 horas, iniciando o jejum absoluto a partir desse horário. Na manhã seguinte, imediatamente após o exame o paciente precisa ingerir um comprimido de Ciprol®  e repetir a dose de 12 em 12 horas, por quatro dias. No dia do exame, levar a medicação à unidade de atendimento. Os comprimidos devem ser tomados com um pouco de líquido, de preferência após duas horas de jejum, pois o antibiótico é absorvido mais rapidamente com o estômago vazio. Além disso, não podem ser associados a antiácidos, visto que eles reduzem sua absorção. Caso o médico assistente tenha prescrito antibiótico profilático, o paciente precisa entrar em contato com o UROTECH e informar a respeito.

Estudo Urodinâmico – É necessária apresentação de pedido médico. Pessoas com dificuldades de locomoção, muito idosas, ou que precisam usar de cadeiras de rodas devem estar acompanhadas para a realização da urodinâmica. É necessário chegar com 30 minutos de antecedência para abertura da ficha e acomodação em sala. Medicações anticoagulantes e antiagregantes plaquetários devem ser suspensas 7 dias antes do exame, com o consentimento e supervisão do médico assistente. Este exame é contraindicado na vigência de infecção urinária (cistite bacteriana). Em caso de dúvida, o paciente deve consultar o médico que solicitou o exame ou realizar urocultura. Em mulheres, a urodinâmica não deve ser feita nos dias iniciais da menstruação e/ou de maior fluxo sanguíneo. Para a realização deste exame,recomenda-se estar alimentado com uma refeição habitual (evitar alimentos pesados ou em abundância), feita, no mínimo, uma hora antes do exame. A bexiga deve estar confortavelmente cheia. Para tanto, é necessário ficar de 2 a 3 horas sem urinar ou pelo tempo que conseguir. Podem ser tomados líquidos normalmente antes do exame, mas sem excesso. Pacientes com sonda vesical devem levar ao UROTECH, no dia do exame, um conjunto novo de sonda e bolsa coletora, pois, para a realização da urodinâmica, a sonda é temporariamente retirada e não pode ser reutilizada, assim como a bolsa que compõe o conjunto fechado. Em caso de dúvida, o médico assistente deve ser consultado sobre outras especificações (calibre e material da sonda, tipo de bolsa, etc). Como regra geral, recomenda-se uma sonda de mesmo calibre, feita de silicone ou látex, de preferência, e bolsa coletora fechada. Exames de urina e urocultura devem ser realizados em outra data, uma vez que a amostra empregada na urodinâmica não pode ser utilizada em outras análises.

Urologista no Centro Rj

Videolaparoscopia Urológica – Atualmente a vídeolaparoscopia na área urológica tem sido indicada com mais freqüência para cirurgias urológicas, como a remoção de rins sem função ou com tumores, cistos renais volumosos, cirurgias para correção de estreitamento da junção do rim com ureter, entre outras. A vídeolaparoscopia para cirurgias urológicas é uma grande vantagem em relação à cirurgia convencional, já que a técnica possibilita o retorno do paciente às atividades em um prazo menor, o custo do procedimento acaba sendo mais barato, devido ao tempo de internação hospitalar ser menor e, além disso o procedimento determina maior conforto no pós-operatório e melhores resultados estéticos.

Endourologia – Endourologia é o segmento da urologia que se dedica a instrumentação endoscópica para cirurgias minimamente invasivas. Um método com muitas vantagens em relação às outras formas de cirurgia: maior conforto no pós operatório, excelentes resultados estéticos e menor tempo de recuperação do paciente.

Usando tecnologias de ponta, esse método é tido como o que há de mais moderno no tratamento de transtornos urinários e disfunções urológicas, permitindo ao médico uma seleção de opções que se ajustam as necessidades específicas do paciente.

 

Dr Pedro Henrique Portugal Arritmia Cardíaca no Centro da Cidade

Dr Pedro Henrique Portugal Arritmia Cardíaca no Centro da Cidade

Dr Pedro Henrique Portugal Arritmia Cardíaca no Centro da Cidade

Currículo :

Especialização :

– Instituição: Hospital Central do Exército Residência Médica em Clínica médica (março 2002 a janeiro 2004).
– Instituição: Instituto Nacional de Cardiologia Residência Médica em Cardiologia (fevereiro 2004 a janeiro 2006)
– Instituição: Instituto Nacional de Cardiologia Residência Médica em Arritmias cardíacas (fevereiro 2006 a janeiro 2007)

– Instituição: Universidade Veiga de Almeida (UVA) Curso de pós-graduação em terapia intensiva (2011)

Titulação :

– Título de Especialista em cardiologia (TEC) (2007)

– Título de Proficiência em Eletrofisiologia clínica (2009)

Concursos :

– Concursado pela UFRJ, desde 2004, estando lotado no Instituto de Psiquiatria da Universidade do Brasil (IPUB);

– Concursado pelo Ministério da Saúde, desde 2008, estando lotado no setor de arritmias cardíacas do Instituto Nacional de Cardiologia (INC);

Atuação :

– Médico clínico geral do IPUB, desde 2004;

– Médico cardiologista / arritmologista do INC, desde 2008;

– Médico arritmologista da Santa Casa de Misericórdia do RJ;

– Atuando em laudos de holter de 24 horas, desde 2006, atualmente no INC e nas clínicas Pró-Med Rio, Casa de Portugal e Prontocor;

– Atuando em terapia intensiva na unidade coronariana do INC, desde 2008

Endereço : Rua Santa Luzia, 206 – Sexta Enfermaria – Santa Casa da Misericórdia

Bairro : Centro da Cidade – Rio de Janeiro – RJ

Telefones : (21) 2220-6632 / (21) 2210-1188 / (21) 98893-7126 / (21) 7874-2993

E-mail : drpedroarritmia@gmail.com

Também atende na Barra da Tijuca e em Botafogo

Arritmias Cardíacas

Fibrilação Atrial (FA)

Definição:

– desorganização da condução elétrica atrial;

– reentrada múltipla (microreentradas) no tecido atrial, em geral, iniciada no tecido de junção entre veias pulmonares e o átrio esquerdo;

– acomete bem mais portadores de cardiopatias estruturais e idosos;

– taquiarritmia atrial com FC muito elevada, em torno de 400 – 600bpm, com intensa irregularidade dos ciclos;

– perda da contração (sístole) atrial;

– remora sanguínea biatrial àformação de trombo intra-atrial (principalmente átrio esquerdo);

 Epidemiologia :

– estimado ser responsável por 33% das internações por arritmia;

– elevada morbi-mortalidade à mortalidade 2x maior comparado a pacientes em ritmo sinusal;

– fatores predisponentes principais para FA: idade, Diabetes Melitus (DM), Hipertensão Arterial Sistêmica (HAS), valvopatias;

– correlação intensa com presença de insuficiência cardíaca (IC);

– prevalência de 0,4% a 1% da população mundial;

– menor 0,1% à indivíduos com < 60 anos

– 8% nos acima de 80 anos;

– média de idade de 75 anos à 70% entre 65 – 85 anos;

– prevalência ajustada por idade é maior em homens;

– porém: pacientes > 75 anos à 60% são mulheres;

– incidência anual: < 0,1% em indivíduos de 40 anos ou menos  // 1,5% para homens e 2% para mulheres, nos de 80 anos ou mais;

 Etiologia :

– cardiopatias estruturais, com associação mais comum em casos de IC;

– isquemia miocárdica;

-HAS

– libação alcoólica à muito comum em jovens sem cardiopatia estrutural.

Dra Rosimeri Eirado Ribeiro Bruno Terapia Sexual no Centro

Dra Rosimeri Eirado Ribeiro Bruno Terapia Sexual no Centro

Dra Rosimeri Eirado Ribeiro Bruno Terapia Sexual no Centro

CRM : 52.50337-2

Endereço : Avenida Nilo Peçanha, 50 – Sala 1112 – Edifício Rodolfo de Paoli

Bairro : Centro da Cidade – Rio de Janeiro – RJ

Telefones : (21) 2544-2274 / (21) 2544-2286

Dr Paulo Monteiro Cirurgia Plástica no Centro da Cidade

Dr Paulo Monteiro Cirurgia Plástica no Centro da Cidade

Dr Paulo Monteiro Cirurgia Plástica no Centro da Cidade

CRM : 52.65882-0

Endereço : Avenida Marechal Câmara, 160 – Sala 621 – Edifício Orly – Centro Empresarial Charles de Gaulle

Bairro : Centro da Cidade – Rio de Janeiro – RJ

Telefones : (21) 3021-2013 / (21) 99986-0801

Também atende na Barra da Tijuca.

Menu